O que é diástase?

O afastamento dos músculos que sustentam o abdômen faz parte da gravidez, mas pode durar e tornar um incômodo no futuro.

Por volta do início do primeiro trimestre da gravidez, o abdômen da mulher precisa se expandir para acomodar o bebê. Por essa razão, o músculo reto abdominal composto por dois feixes de tecido paralelos (os mesmos que formam os gomos da barriga tanquinho), se afasta.

O que une esses dois lados é a linha Alba. Seu alargamento e subsequente separação muscular é chamada de diástase.

A linha Alba é um tecido formado por colágeno, que tem a capacidade de se expandir e depois voltar ao seu formato original. Logo após o parto, ele retrai um pouco e o tecido tende a se recuperar totalmente em seis meses. No entanto, para algumas mulheres, o afastamento persiste, em diferentes posições.

Como sua sustentação, que era o músculo, saiu do lugar, a pele fica com aparência murcha, bem fina, e a região pode exibir uma protuberância. Esse caroço é apenas uma parte do intestino que não é mais protegido pelos músculos. Em mulheres magras, esse fenômeno é mais óbvio.

Essas mudanças nas estruturas internas da mulher acarretam em uma série de alterações gastrointestinais, como gases, desconforto, intestino preso e hérnias.

A mudança nas estruturas internas desencadeia alterações gastrointestinais, como gases, desconforto, intestino preso e hérnias. A bexiga também sofre, é muito comum que surja incontinência urinária.

A diástase geralmente afeta mulheres grávidas, mas pessoas que são geneticamente predispostas, acima do peso ou realiza exercícios que aumentam a pressão dentro do abdômen, podem acabar sofrendo desse mal.

Para a correção da diástase existem 3 opções

1. Exercícios hipopressivos

2. Fisioterapia.

3. Em último caso, a única opção é a cirurgia.

Te informar, #IssoéCACSS